Luís Bento e Dina Cardoso - Foto de Paulo Sousa

Muita calma, concentração, alguma resistência física e gosto pelo contato com a natureza – à maioria das provas realiza-se em pleno campo – são condições necessárias para um bom  desempenho dos atiradores de tiro com besta e de tiro de campo.

Iniciamos hoje no Agente Desportivo mais uma rubrica, Entrevistas, e estreamos com esta modalidade desportiva, ainda, pouco divulgada. A divulgação da mesma é , aliás, uma das preocupações da Federação de Arqueiros e Besteiros de Portugal (FABP) orgão «onde qualquer individuo se pode inscrever. Após a inscrição, é um potencial atirador com besta dado que, aquando da nossa inscrição não temos que definir a modalidade de tiro, isto é se atiraremos com besta ou com arco» explica Dina Cardoso, bicampeã nacional no campeonato de campo (2010 e 2011); bi campeã nacional no campeonato de besta (2010 e 2011) e campeã nacional no campeonato de caça (2011).

(GS) Há muitos praticantes nestas modalidades?

(DC) Os praticantes de tiro com besta são diminutos considerando o universo dos atletas federados e a atirar regularmente. No presente ano estão inscritos na federação cerca de 150 atletas (115 no sexo masculino e 35 no feminino) representando 14 clubes.

(GS) Como “apareceu” a praticar a modalidade?

(DC) Aconteceu por influência de um amigo que se havia inscrito no club como besteiro e que, aquando da aquisição de uma nova arma, nos convidou, a mim e ao meu marido, para irmos com ele ao campo de treinos para atirarmos. Adorámos essa experiência e, passado algum tempo, comprámos o nosso equipamento e começámos a atirar… na realidade e até à data desse convite (fevereiro de 2010) desconhecíamos a existência deste desporto em Portugal. Temos pena que não seja mais divulgado no nosso País. Penso, também, que a falta de divulgação poderá estar relacionada com o fato da modalidade dar “gozo” a quem a pratica, mas para os espetadores pode tornar-se um pouco maçador e monótono de assistir.

(GS) Sendo natural e residente no concelho do Sardoal representa o Club de Arqueiros e Besteiros do Entroncamento, porquê?

(DC) Por ter sido através deste club que tive o contato, pela primeira vez, com a modalidade e por ser o mais próximo da minha residência.

(GS) A época desportiva vai de quando até quando… ?

(DC) Começa em Fevereiro e vai até Novembro, não havendo provas em Agosto. O número de provas em que participamos depende dos campeonatos que estamos a disputar e dos pontos que necessitamos, mas varia entre as 12 e 16 provas por época.

(GS) Dispõe de alguns apoios ou subsídios?

(DC) Os únicos subsídios/apoios vêm da Câmara Municipal do Entroncamento que, através de um protocolo que celebra, anualmente, com as associações do concelho, nos atribui (ao club) um determinado valor mensal, valor esse que faz face a despesas com a organização de provas, inscrições e seguros dos atiradores e aquisição de equipamento e algum material.

(GS) O seu “palmarés” já foi reconhecido pelo município sardoalense?…

(DC) Sim. Por duas vezes a revista municipal trimestral “O SARDOAL” fez menção não só aos meus feitos, como aos do meu marido e, também, ao amigo que nos influenciou a praticar esta modalidade, sendo que no primeiro artigo tivemos destaque no “Quadro de Honra” do referido boletim.

(GS) O fato de ser campeã nacional permite-lhe representar Portugal no Estrangeiro?

(DC) Sim, permite-me representar a Federação Portuguesa nos campeontos da Europa e do Mundo. Qualquer atleta que esteja inscrito na federação e que se qualifique em provas do campeonato nacional, pode-se inscrever para representar Portugal em competições internacionais.

(GS) E já representou o nosso país alguma vez no estrangeiro?

(DC) Ainda não, por diversas razões. Por um lado, desde que comecei a atirar com regularidade (2010), a nível internacional apenas houve uma prova do campeonato da Europa na Suécia (2010) no qual não participei por ter sido durante o mês de Agosto e não ter sido possível conjugar as férias no emprego. Por outro lado, porque todas as despesas com deslocações, estadia e alimentação são suportadas pelo atleta, à exceção da inscrição na prova e na cerimónia de encerramento que fica a cargo da federação.

Este ano vai realizar-se na Suécia o 1º Campeonato Europeu organizado pela WESA durante o mês de agosto, no qual, infelizmente, por motivos económicos e profissionais não poderei participar.

(GS) Onde treinam?

(DC) Normalmente, treinamos aos sábados no terreno contíguo à nossa casa em Valhascos (Sardoal) para a distância até 30 metros. Para distâncias superiores, deslocamo-nos ao campo de treinos do CABE (Entroncamento) ou no campo de futebol de Valhascos.

- – - – - – - – - – - – - – - – - – - – -

TÍTULOS

DINA CARDOSO

ANO 2010

-» campeã nacional no campeonato de campo

-» campeã nacional campeonato de besta

-» record nacional — percurso HUNTER batido em 18 Julho, c/ 217 pontos

-» record nacional — percurso FIELD, batido em 19 Setembro c/ 226 pontos

-» máximo nacional — percurso 3D,batido em 03 de Outubro

 

ANO 2011

-» campeã nacional campeonato campo

-» campeã nacional campeonato caça

-» campeã nacional campeonato besta

-» máximo nacional — percurso 3D,batendo o anterior record em 27 de Março, com 390 pontos

-» máximo nacional — percurso animal DD, batido em 12 Junho com 524 pontos

-» record nacional — percurso animal Dc,batido em 17 de Abrilcom 546 pontos

-» record nacional — percurso Hunter, batendo o anterior com 235 pontos

- – - – - – - – - – - – - – - – - – - – -

LUIS BENTO (MARIDO)

ANO 2010

-» 3º classificado campeonato nacionl campo

-» 3º classificado campeonato nacional besta

 

ANO 2011

-» campeão nacional campeonato nacional campo

-» campeão nacional campeonato de caça

-» 3º lugar no campeonato nacional de besta

- – - – - – - – - – - – - – - – - – - – -

BILHETE DE IDENTIDADE

nome — DINA Isabel de Oliveira CARDOSO

naturalidade –  Valhascos (Sardoal)

nscimento — 09.11.1976

profissão — funcionária pública (Câmara Municipal de Sardoal)

club que representa — CABE (Club Arqueiros e Besteiros Entroncamento)

 

BILHETE DE IDENTIDADE

nome –  LUIS Miguel Gaspar BENTO

naturalidade — S. João (Abrantes)

nascimento — 16.10.1975

profissão — bancário

club que representa — CABE (Club Arqueiros e Besteiros Entroncamento)

- – - – - – - – - – - – - – - – - – - – -

CURIOSIDADE

A título de curiosidade, em 2009 realizou-se em Portugal (Entroncamento) o campeonato do mundo de tiro com besta, tendo obtido o título de campeão mundial o atleta do CABE João Pedro Santos. Ora, na altura, o único jornal que noticiou tal feito foi precisamente o RECORD.

- — – - – - – - – - – - – - – - – - – - -

Importa referir que, como acontece com a maioria das modalidades o investimento principal é o inicial e varia de acordo com a qualidade do equipamento que se adquira.

O equipamento necessário é o seguinte e custa:

-» besta — a partir de 450 euros

-» saco transporte — 50 a 75 eur0s

-» mira — de 100 a 200 euros (nos campeonatos do mundo encontram-se atiradores com miras de 3 000 euros)

-» armador (corda que ajuda a armar a besta) — 25 euros

-» aljava (utensílio utilizado para transporte dos virotões que normalmente se prende à cintura ) — 10 euros

-» binóculos (não sendo obrigatório, dá bastante jeito pra confirmar o tiro no alvo) — 25 euros

As marcas e distribuidores, normalmente, têm Kits que incluem a besta, saco, mira, armador e 6 virotões com preços a partir dos 500 euros, ficando, assim, mais em conta.

Tags

 

Deixe um Comentário

 

Tem que entrar para publicar um comentário.